20.07.2020

O movimento infantil na perspectiva Montessori

DSCN8417

Notícias Publicações

Geral

O movimento representa parte imprescindível para o desenvolvimento infantil. O sistema muscular, o cérebro e os sentidos estão intimamente entrelaçados e juntos formam a unidade do indivíduo. No campo educacional, o movimento infantil ganhou notoriedade com o passar dos anos e os estudos relacionados trazem à tona a sua importância para o desenvolvimento da criança. 

Inicialmente, a forte e exclusiva importância depositada na aprendizagem intelectual fez com que o movimento da criança fosse visto como algo menos distinto do que realmente é. Maria Montessori atenta veemente para o fato de que Mente e Movimento são unidades que formam um único ciclo e não devem ser considerados separadamente. O movimento é a “expressão da parte superior” de um sistema de relação composto pelo cérebro, pelos sentidos e pelos músculos, um organismo complexo que precisa ser trabalhado em cada parte, sem excluir nenhuma delas. Este sistema de relação permite que o homem estabeleça conexões com o ambiente e com outros indivíduos. Portanto, é um equívoco considerarmos a vida física de um lado e a mental de outro, pois assim as ações do indivíduo ficam separadas do cérebro. Montessori atenta para a importância da presença dos jogos no currículo das crianças para oportunizar o desenvolvimento físico e mental.

Através de observações científicas constatou-se que a inteligência é amplamente desenvolvida através do movimento. Diversos experimentos pelo mundo mostraram que o desenvolvimento psíquico está intimamente relacionado com o movimento, portanto temos um ciclo que precisa ser concluído. O movimento infantil não está definido ao nascer, ele precisa ser estimulado e aperfeiçoado por meio do ambiente em que a criança está inserida. As experiências práticas oportunizadas às crianças na Educação Infantil, fase em que absorvem tudo que está ao seu redor, contribuem para o desenvolvimento de suas potencialidades motoras e de sua inteligência.

Nas aulas de Educação Física na Educação Infantil, oportunizamos experiências diversas com atividades que promovem o vínculo do movimento, com o raciocínio, o concreto, o real e com a criatividade, favorecendo o estabelecimento de relações positivas da criança com a prática motora. Através dos circuitos motores, por exemplo, é possível proporcionar noções de “Esquema corporal”, um elemento imprescindível para a formação da personalidade e que constitui uma representação abrangente e científica que a criança tem do próprio corpo. A realização do trabalho com as atividades propostas propicia o desenvolvimento de inúmeros aspectos, como a estruturação espacial, a coordenação motora ampla, o equilíbrio, a experimentação de ajustes posturais, aspectos sociais e emocionais que contribuem para a formação de um indivíduo consciente, autônomo e responsável por suas ações. No entanto, é importante ressaltar que o ambiente é preparado para proporcionar esses fatores, mas cada criança estabelece o seu ritmo de aprendizagem, sendo guiada pelos seus interesses e pelas suas individualidades.

Ao considerar o que foi citado, deixamos aqui o desejo de que o movimento esteja sempre presente na vida das crianças, pois como descreve Montessori: “A imobilidade é impossível. O mundo se transformaria num caos se o movimento cessasse ou mesmo se os seres vivos se deslocassem sem objetivo, sem aquele fim útil determinado a cada ser.” (Montessori, 1949).



Maria Natália dos Passos

Graduação em Educação Física – Licenciatura UFSC
Especialização em Educação Física Escola
Professora de Educação Física – Infantil CEMJ

___________________________________


Referências bibliográficas:

MONTESSORI, Maria. Educação para um novo mundo. 1. ed. São Paulo: Comenius, 2015. 110 p.
MONTESSORI, Maria. Mente Absorvente. 1. ed. [S. l.]: Nórdica, 1949. 316 p.
DE MATTOS, Mauro Gomes; NEIRA, Marcos Garcia. Educação Física Infantil: Construindo o movimento na escola. 7. ed. rev. São Paulo: Phorte, 2008. 130 p.

Voltar