O Hospital

O Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Conceição tem por finalidade prestar atendimento de saúde à população de Angelina, municípios vizinhos e atualmente atende a vários municípios de todo o Estado de Santa Catarina. Conta com 51 leitos e 9 médicos. Atende a comunidade nas seguintes especialidades: Clínica Médica, Clínica Cirúrgica, Clínica Obstétrica, Clinica Pediátrica, Cirurgia Geral, Cirurgia Ortopédica, Anestesiologia, Pronto Atendimento em urgência e emergência, Ultrassonografia, Radiologia Digital, Farmácia Hospitalar, Farmácia Pública, Laboratório de Análises Clínicas, Nutrição.

História

Desde a chegada das Irmãs Franciscanas de São José, em Angelina no ano de 1927, houve exclusiva dedicação à saúde do povo Angelinense. Segundo “A Presença” de (Irmã Serena Boeing, 2003), as Irmãs que se dedicaram aos cuidados da saúde do povo angelinense, foram: “Irmã Serafina Scoz, Irmã Edvina Hellmann, Irmã Rogéria Montenegro de Oliveira, Irmã Leonila Filippi, Irmã Hilária Heidemann, Irmã Joaquina Ferreira, sendo esta última a mais lembrada pelo povo de Angelina, na trajetória de construção do Hospital.

Até os anos de 1960 o atendimento da saúde do povo de Angelina vinha sendo realizado pela Irmã Joaquina Ferreira, pertencente a Congregação das Irmãs Franciscanas de São José. Havia na cidade uma Maternidade, localizada no centro de Angelina, na época chamada de Vila Mundéus, pertencente a Senhora Bernardina Zimermann, parteira desta vila. Os casos graves eram encaminhados à Florianópolis/SC, mas o transporte era difícil e lento. Mediante todas estas dificuldades Irmã Joaquina, bem como todo o povo Angelinense sentiu a necessidade de se ter um Hospital e Maternidade na cidade, que viesse atender aos desejos e necessidades do povo. Para que se concretizasse este anseio e necessidade, em 30 de outubro de 1962 foi fundada a “Sociedade Nossa Senhora de Angelina” com o objetivo de construir este hospital, formada pelos seguintes membros:

Presidente: Nilto José Coelho
Secretário: Nestor Marcos Schmidt
Tesoureiro: Arno José Koerich
Autoridades Municipais:
Vigário: Frei Honorato Bruggmann
Prefeito: Mauro Jonck
Vice Prefeito: José Germano Fuck

Em 25 de outubro de 1964, Dom Joaquim Domingues de Oliveira – Arcebispo, benze a Pedra Fundamental do Hospital, na presença de pessoas importantes como: Pároco Frei Columbano Gilbert, Irmã Joaquina Ferreira, Senhor Ivo Silveira, Sr. Ivo Montenegro – na época, Prefeito de Rancho Queimado, o Pastor evangélico e representantes municipais. A Congregação das Irmãs Franciscanas de São José através de sua Madre Provincial na época Irmã Maria Adélia Custódio doou uma área de 18.824m² destinada à construção do hospital. Outro grande benfeitor que contribuiu para a construção do hospital foi Frei Honorato Bruggemann, que com a ajuda da Miserior (Instituição Alemã), conseguiu o valor de 117 mil marcos e repassou para a “Sociedade Nossa Senhora de Angelina”. Quanto ao povo Angelinense contribuíam com a mão de obra e demais serviços da construção. As Irmãs Franciscanas de São José contribuíram na parte da alimentação e Irmã Joaquina acompanhava e ajudava as co-Irmãs com o que sobrava da Farmácia. Em 1968 Frei Alexandre Wiesmann OFM, capelão da Fraternidade Nossa Senhora de Lourdes foi à Alemanha e trouxe mais recursos em marcos, possibilitando a continuidade da construção. A água que abastece o hospital foi doada pelo Senhor Francisco Kammers.

Inauguração

Em  14 de outubro de 1973 foi oficialmente inaugurado o hospital de Angelina com o nome de: “Sociedade Nossa Senhora da Conceição”. A missa de inauguração ocorreu às 10:00 horas em frente ao hospital, presidida pelo Bispo Dom Floriano Louwemann e concelebrada por Frei Honorato Bruggemann e Frei Ludgero Kroesmann. Após a Celebração Eucarística o Senhor Nilto José Coelho presidente da “Sociedade Nossa Senhora de Angelina” falou em nome da diretoria, participaram ainda as seguintes autoridades: o Senhor Genovêncio Matos – Diretor do DASP – representando o Secretário Estadual de Saúde e o Senhor Homero de Miranda Gomes representante do Governador do Estado de Santa Catarina. Após os discursos foi descerrada a faixa de entrada do Hospital e procedeu-se com a benção por Dom Floriano Louwemann. E para contribuir financeiramente, foram leiloadas as fitas das diversas repartições do hospital. A alegria do povo angelinense era grande e a festa estendeu-se durante o dia todo. Ao meio dia houve um almoço de confraternização no salão Paroquial e as comemorações continuaram. Neste dia foram arrecadados dezesseis mil e quinhentos cruzeiros para benefício do Hospital.

Em 27 de julho de 1983 a atual diretoria do Hospital na época constituída pelos Senhores: Theodoro Meurer, José Pereira Alves, Cecília Schuch, Maurino Antonio Junckes, Enio de Oliveira Matos, entregaram esta obra à Congregação das Irmãs Franciscanas de São José, através de sua Superiora Provincial na época Irmã Maria Luciana Groh, que o nomeou Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Conceição.

Aquisição de Equipamentos

A aquisição dos equipamentos do Hospital aconteceu em sua maioria nos anos de 1971 a 1972, destacamos, porém, o aparelho de RX, vindo da Alemanha Ocidental através da Miserior (Instituição Alemã), em 03 de dezembro de 1971, transportado para o Brasil através do navio “Santa Rosa” partindo do porto de Bremen/Alemanha e chegando ao porto de Itajaí/Brasil-SC no dia 25 de janeiro de 1972. Neste mesmo ano foram adquiridos: mesa cirúrgica, aparelho para anestesia, bisturi elétrico, lâmpada cirúrgica, autoclave e estufa para esterilização, camas de fawler, camas comuns, cadeiras, mesas para refeição, berços, microscópio. Biombos, pinças, bandejas, cubas, tambores e os equipamentos cirúrgicos necessários ao funcionamento do Hospital.

No ano de 1973, foram adquiridos cilindros de oxigênio, carrinhos, suporte para soros, colchões, arquivo de aço com quatro gavetas, mesas de cabeceira, roupeiros, sofás, armários e prateleiras para a cozinha e despensa, extintores entre outros. Houve também muitos gastos com mão de obra. O hospital iniciou seu funcionamento, tendo como seu primeiro médico contratado o Dr. Kneipp de Oliveira, três irmãs assumiram a parte da enfermagem. Já em 1974, os gastos foram menores, sendo adquirido apenas um televisor, uma mesa e abajures.

Com muito esforço e com ajuda das co-Irmãs da Alemanha foi possível reformar todo o centro cirúrgico, hoje considerado de 1º mundo. No decorrer dos anos foram muitas as mudanças e aperfeiçoamentos realizados através da ajuda da comunidade e subvenções sociais visando sempre o melhor para todos os nosso usuários.